quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Pela boca

- Que é isso?
- Comida.
- Tem certeza?
- Come e não reclama.
- Mas tem cheiro de chulé!
- Tapa o nariz.
- O que tem aqui?
- Sopa.
- De que?
- É melhor você ficar quieto e comer.
- Senão?
- Eu tiro o seu prato e você vai passar fome.
- Não sei o que é pior.
- Você é quem sabe.
- Não tem outra coisa?
- Já falei, não me enche!
- Quem sabe um resto do guisado da mamãe?
- Não se atreva a tocar nessa geladeira!
- O que aconteceu com a pensão?
- Fechou.
- Gostava tanto da comida da Dona Candinha...
- Você se acostuma.
- A esse troço cinza?
- É a minha especialidade. Sopa de miúdo.
- Eca! Não como miúdo de boi de jeito nenhum!
- Quem falou que é de boi?
- Cadê o Alfredo?
- Fugiu.
- Você não teria coragem!
- Tô perdendo a minha paciência!
- Logo o Alfredo, tão bonzinho.
- Chega! Acabou sua chance.
- Mas eu tô com fome...
- Eu avisei.
- E amanhã, o que vai ter?
- Sopa de miúdo.
- Mas eu não vou conseguir comer!
- Não se preocupe. Você não vai precisar.

2 comentários:

C.Dias disse...

Puxa vida Xuxu, vou te falar: vc mal começou e já autora de clássicos. Esse é um deles. Muito foda. Meio macabro. Mas muito foda! ( no melhor sentido possível, claro!)

Fernanda disse...

clássico??? só vc mesmo, Xuxu! e obrigada pela assiduidade! hehehe.