sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Vende-se

- Seu moço, tô vendendo pensamento, quer comprar não?
- É o que, menino? E pensamento lá se vende? Quem haveria de comprar?
- Pois muita gente que por aqui passa se interessa. Tem gente que quer pensar não. Prefere comprar pronto.
- E como é que é isso? Vende pensamento de qual serventia?
- Ora, pra tudo tem oferta. Se é coisa de resolver, o pensamento acende a luz e bota as coisas no lugar. Se o mal é de coração, a gente trata de fazer mais confusão, que é pro freguês sair daqui com o produto na cabeça. Que a provocação é a mãe do pensamento, né não?
- Oxe, e quem compra não sabe pensar sozinho não?
- Saber, sabe. Mas acha que consegue não. Pensamento do bom mesmo é coisa rara. E aqui só se vende do melhor. E quem não precisa de um?
- Mas assim não fica todo mundo com a ideia igual?
- Só se o freguês comprar no lugar errado, sem certificado. Que o de verdade logo vira dele. E muda pra cada um.
- Se é assim, vou querer. O miolo tá velho, não pega nem no tranco. Posso ter ideia nova e faxinar as velhas. E quem quiser que fique com elas.

3 comentários:

Rodrigo Burdman disse...

esse é bem bom.

Flavinha disse...

Nããã, fantástico...
Morri de rir porque me lembrei d uma amiga que a mãe, quando foi contratar a empregada, ouviu a pérola: "a senhora quer com penso ou sem penso? é que se tiver que ver lista de compras, fazer cardápio da semana, ver o que está faltando, é um preço... se for para só executar, é mais barato..."
Bjs
Fla

Flavinha disse...

Sem contar que está genial independente das minhas lembranças...